Você já ouviu falar em "DESREGULADORES ENDÓCRINOS"?



Desreguladores endócrinos (DEs) são compostos químicos com os quais temos contato no dia-a-dia e que podem interferir no funcionamento dos nossos hormônios, além de poder ocasionar efeitos metabólicos, neurológicos e imunológicos.


A depender do tempo de exposição repetitiva e cumulativa e também da susceptibilidade individual, os DEs podem causar efeitos importantes no sistema reprodutivo (infertilidade, anormalidade genital, abortos, puberdade precoce, endometriose, S. ovários policísticos) e alguns tipos de câncer (mama, endométrio, testículos, próstata e tireoide).


A exposição aos DEs pode ser pelo ar, contato com a pele, oral, leite materno e líquido amniótico.


Os DEs estão presentes em muitos produtos do nosso dia-a-dia, como: - Pesticidas e agrotóxicos (derivados do DDT) - Papéis térmicos, computadores, celulares, peças de carro, brinquedos, garrafas, copos e potes plásticos, revestimento interno de latas e embalagens TetraPack (Bisfenol A ou BPA) - Plástico filme, brinquedos, mordedores, embalagens, bancos de carro, cortinas de banheiro, papel de parede etc (ftalatos).


O que podemos fazer para mimimizar a exposição a esses compostos, tão presentes em nosso meio? Veja algumas dicas:


1. Evite consumo de alimentos enlatados ou acondicionados em Tetrapack ou em plástico filme


2. Evite consumo de bebidas acondicionadas em garrafas pet (prefira as de vidro)


3. Não usar recipientes plásticos em microondas ou no congelador (prefira o vidro ou cerâmica)


4. Verifique o tipo de plástico dos utensílios que estão em sua casa (especialmente os de cozinha e os brinquedos): - 2, 4 e 5 são seguros - 1 está sendo investigado - 3 e 7 não são seguros - 6 é potencialmente tóxico (presente em copinhos de café)


5. Sempre que possível, preferir alimentos orgânicos, livre de agrotóxicos.


6. Gestante e crianças pequenas devem ter cuidado redobrado!


Gostou dessas informações? Achou relevante? Então curta e compartilhe! Comente aqui o que mais te chamou a atenção!


Fontes: SBEM, EndocrinoSociety- IPEN


3 visualizações0 comentário