NÓDULOS NA TIREOIDE



Nódulos na tireoide são muito comuns na população adulta, podendo estar presentes em até 50 a 60% dos adultos saudáveis, segundo alguns dados epidemiológicos.


Ao longo das últimas décadas, tem se observado um aumento significativo na incidência de nódulos tireoidianos na população, por algumas razões:


1. Mais exames de imagem da tireoide têm sido solicitados e realizados "de rotina", como "check up", o que acaba detectando muitos nódulos incidentalmente...


2. Desenvolvimento de aparelhos de ultrassom cada vez mais sensíveis, o que contribui para a detecção de nódulos cada vez menores (que possivelmente não seriam detectados com os aparelhos mais antigos)...


3. Real aumento da ocorrência dos nódulos na população. Há muitas incógnitas sobre o quê pode estar contribuindo para esse aumento na incidência, mas existem algumas hipóteses, como a maior exposição a desreguladores endócrinos (presentes em plásticos, agrotóxicos e vários outros produtos que temos contato no dia a dia).


Felizmente a maior parte dos nódulos (até 90%) é de natureza benigna. Grande parte deles também não está associada a disfunção tireoidiana (embora alguns deles possam ser autônomos e estarem associados ao hipertireoidismo).


Muitos nódulos não causam sintomas locais, mas alguns mais volumosos podem causar compressão de outras estruturas vizinhas no pescoço: se o nódulo comprime o esôfago, o paciente pode ter dificuldade para engolir (disfagia); se o nódulo atinge o nervo da corda vocal, pode ocorrer rouquidão; e assim por diante.


A avaliação do nódulo é feita inicialmente com o exame de ultrassonografia (USG), realizado de preferência com um bom aparelho e com um radiologista experiente. O USG avalia várias características do nódulo, que ajudam o médico a definir se há necessidade de prosseguir a avaliação com biópsia. A biópsia é feita aspirando as células do nódulo com uma agulha, e essas células são colocadas em lâminas para serem avaliadas por um patologista. A maioria dos nódulos biopsiados é de caráter benigno, mas quando se confirma malignidade ou suspeita para malignidade, o tratamento cirúrgico (com o cirurgião de cabeça e pescoço) está indicado.


Se você tem nódulos na tireoide, não deixe de fazer avaliação e acompanhamento periódico com um endocrinologista.


Para marcação de consulta, contato e endereço de atendimento, acesse: www.ceciliafinotti.com

4 visualizações0 comentário